Site icon Meu Redator

12 erros ao criar conteúdo para a sua marca

O Marketing de Conteúdo é hoje uma das melhores estratégias para as empresas se comunicarem com seu público, conhecendo suas necessidades e adequando materiais relevantes para essas personas.

Uma das principais premissas do Marketing de Conteúdo é justamente apostar em conteúdos relevantes aos clientes em potencial, de forma a gerar um direcionamento genuíno aos produtos e serviços da marca. 

Todavia, é bem comum que ao investir nesse tipo de marketing, os donos de negócio –  ou mesmo os próprios redatores contratados para realizar essa tarefa – cometam algumas falhas na produção de textos para blogs e demais locais.

Pensando nisso, hoje nós trouxemos 12 erros que devem ser evitados na sua estratégia de marketing digital. Acompanhe!

 

Não oferecer conteúdo de forma contínua

Se você começar a postar artigos nos finais de semana, por exemplo, é bem provável que o seu público espere novas postagens nesse período, afinal, quando as pessoas se identificam com uma marca, elas passam a acompanhar as novidades dessa empresa.

Sendo assim, caso não haja um cronograma de publicações contínuo, os visitantes podem ficar decepcionados e procurarem por outros portais semelhantes, situação esta que ninguém deseja, concorda?

Portanto, depois de identificar qual o melhor dia e horário para fazer as postagens, procure sempre respeitar esse calendário, no intuito de fidelizar os visitantes, ok?

 

Não focar no planejamento

O planejamento é algo essencial em diversas atividades da nossa rotina, e no marketing de conteúdo, não é diferente. 

Sem um planejamento eficaz, a probabilidade de produzir conteúdos insuficientes para um dado período de tempo aumenta bastante, além de, é claro, gerar problemas com as datas de postagens.

Por isso, é importante realizar um cronograma que abranja a realidade da marca. Isso significa que dependendo do tipo de negócio, pode ser necessário criar um calendário semanal, mensal ou até mesmo anual.

 

Esquecer a jornada de compra do usuário

Quem já entende um pouco do marketing de conteúdo, sabe que esse método está ligado ao Inbound Marketing (e vice-versa). Isso quer dizer que a jornada de compra do usuário deve ser levada em conta.

Desse modo, ao criar conteúdo para um blog, é vital prestar atenção ao estágio de compra do consumidor, ou seja, o topo, meio ou fundo de funil. Logo, a partir dessa definição, é que o redator poderá escrever um material mais direcionado à realidade do lead.

Não podemos esquecer também da forma de comunicação em que esse conteúdo é oferecido. 

Apesar de os artigos de blog serem bastante utilizados, outros formatos também podem funcionar, dependendo da etapa atual da jornada. Assim, vale investir em posts para redes sociais ou e-books, por exemplo.

 

Escrever conteúdo sem relevância

Esse erro tem a ver com o anterior e com o próximo. 

Oferecer conteúdo sem relevância diz respeito a ofertar informações que não despertem o interesse do seu público. 

Então, o artigo/post pode até ser interessante, porém, se o seu blog estiver saturado da temática, os usuários não vão querer ler conteúdos muitos semelhantes na concorrência.

Em vista disso, é essencial que a persona seja investigada, com o objetivo de preparar blogposts que venham a entreter e/ou despertar a curiosidade do leitor.

 

Oferecer a mesma informação sempre

Ainda que seja um erro fatal, é bem comum que conteúdos repetitivos sejam publicados.

Apesar de trazer inúmeras desvantagens, alguns produtores de conteúdo não se atentam a trazer novos conceitos para o seu público-alvo. 

Aí fica sempre o mais do mesmo: sempre o mesmo assunto, no mesmo formato e no mesmo local de publicação.

Com isso, a sua estratégia de marketing estará indo por água abaixo. Assim, o ideal aqui é buscar algo que gere curiosidade por parte dos leitores, afinal, só assim eles desejarão consumir o seu conteúdo.

Nesse sentido, é interessante apostar em um novo ponto de vista sobre algo que já é bem discutido na internet ou então dispor um mesmo assunto de formas diferentes. 

No entanto, caso você queira aproveitar um mesmo material, procure oferecê-lo em formatos diferentes, através de um vídeo ou infográfico, por exemplo.

 

Não se preocupar com a sua persona

Como já foi mencionado nos tópicos anteriores, é fundamental atentar-se ao que o seu público deseja consumir, pois de nada adianta você criar um artigo sobre as tendências de moda para o outono, se a sua persona não está afim de ler sobre essa temática no momento.

E é relevante lembrar que isso vale para diferentes tipos de formatos. Dessa forma, pense se a maneira como o conteúdo será ofertado vai de encontro às dores da persona

Então, preste atenção se este público poderia se interessar por um artigo ao invés de um infográfico (ou o contrário). 

Enfim, não há receita pronta. O que existe são públicos segmentados e necessidades a serem supridas. Cabe a você, enquanto produtor, dispor das melhores soluções ao seu usuário final. Se precisar de ajuda, conte conosco.

 

Falar em excesso da sua marca

Aqui, não estamos querendo dizer que você deve mencionar um concorrente seu nas suas publicações.

O que queremos esclarecer é que, a sua marca pode ser sim, o foco das suas publicações, porém isso não deve ser feito de forma exagerada ou forçada. 

Do mesmo modo, ao citar o seu negócio, isso não tem a ver diretamente a escrever dados sobre o seu estabelecimento. 

De maneira geral, cada situação é única e demanda planejamento. Contudo, na maior parte das vezes, os usuários costumam não se interessar por publicações onde o enfoque central do conteúdo tem a ver com uma marca.

Mas lembrando, isso não é uma regra, afinal, dependendo do setor ou público, pode ser que essa estratégia funcione. 

Portanto, é preciso analisar a empresa, seus produtos e/ou serviços e o tipo de cliente que deseja-se atingir. 

 

Não se atentar ao algoritmo do Google

Prestar atenção ao algoritmo do Google se refere a construção de conteúdos bem posicionados nos motores de busca, sendo o Google o principal deles. 

Logo, é preciso escrever o material conforme as técnicas de SEO, ou seja, otimizando-o para os mecanismos de buscas.

Por mais que um conteúdo seja interessante, de nada adianta ele não ser encontrado nas pesquisas, concorda? 

Sendo assim, a estrutura do seu conteúdo deve ser ajustada de maneira a fazer esse material ser encontrado pelos potenciais clientes, de maneira rápida, ágil e orgânica (sem a necessidade de ter que promover de forma paga).

Portanto, somente com o SEO, as pessoas que procuram uma resposta na internet chegarão ao seu URL, graças ao posicionamento orgânico da sua página.

 

Produzir textos complexos demais

Primeiramente, é importante destacar que nem sempre é possível fugir de termos complexos ou difíceis de compreender.

Isso acontece, na maior parte das vezes, quando a temática exige o uso desses termos específicos, como é o caso de artigos na área de finanças, saúde e engenharia, onde alguns conceitos são específicos do ramo.

Por outro lado, o uso de certos jargões não significa que o blogpost deva ser de difícil compreensão. 

Pelo contrário: ao buscar o seu blog, os leitores desejam justamente a resposta, de forma clara e objetiva, de alguma questão, a qual pode levar, futuramente, a uma conversão. 

Nessa lógica, é importante focar no essencial, sem repetição de informações (o famoso “encher linguiça”), ao mesmo tempo que os dados sejam separados por tópicos que se complementam, fazendo com que o leitor entenda a mensagem que a sua marca quer passar.

 

Inserir dados sem checar a veracidade

Em tempos de tantas fake news, nunca é demais checar a fonte das notícias que servirão de referência para a produção dos seus textos.

Até porque, imagina trazer um dado falso à tona? E pior: e se esse dado estiver em uma publicação que está bem ranqueada no Google, o que fazer para reverter esse erro?

Complicado, não é mesmo?

Uma vez que sua marca publique uma informação falsa, mesmo que de forma não proposital, serão necessários – além de um pedido de desculpas público -,  novas estratégicas para restabelecer a confiança do público perante seu negócio.

Sendo assim, para evitar dores de cabeça como essa, não hesite em averiguar todas fontes citadas e se os dados citados no seu texto são advindos de instituições ou especialistas confiáveis.

 

Usar um design que dificulta a leitura

Sem dúvidas, a linguagem do mundo digital requer algumas técnicas específicas para que os visitantes tenham uma experiência agradável ao ler o seu blog, e isso tem relação direta com o layout ao qual seu conteúdo é apresentado.

Desse modo, diferente de um livro, por exemplo, não é interessante agrupar diversos blocos de textos extensos, pois isso cansa o usuário e muito possivelmente o afastará da sua marca. 

Como hoje as pessoas buscam por algo mais visual, por mais que seu conteúdo tenha valor, é perigoso “jogá-lo” de qualquer jeito na sua página. 

Logo, não deixe de utilizar recursos visuais que chamem a atenção do seu leitor, ao mesmo tempo que ele tenha pretensão de continuar na sua página. 

Para tal, utilize fontes e cores que façam alusão ao seu negócio, mas sem exageros de tonalidade.

 

Utilizar um mesmo formato de conteúdo

Quem nunca leu um arquivo de blog que no primeiro parágrafo, já cansava os olhos (e a paciência)? 

Ou seja, sem nenhuma separação de tópicos, sem imagens ou nenhum recurso visual, somente texto e mais texto…

Pois é, essa prática prejudica bastante o ranqueamento da página nos buscadores, além de espantar os visitantes do seu site/blog.

Ultimamente, é notável o quão as pessoas estão em busca de informações mais rápidas, o que faz com nem sempre um artigo de blog satisfaça essa necessidade, pelo menos não um que não seja agradável de ler.

Portanto, procure diversificar a forma de entregar seu conteúdo, seja através de artigos, infográficos, vídeos, e-books ou posts para redes sociais, por exemplo.

 

Dica extra: não investir na contratação de empresas especializadas na produção de conteúdo

Como você pode perceber, são muitas variáveis que estão envolvidas na produção de um conteúdo rico, relevante e que traga bons resultados ao seu negócio.

Outra situação que pode acontecer é você não ter tempo suficiente para preparar esses materiais, dado que muitas dessas técnicas requerem um estudo aprofundado e prática constante, tarefa essa que você, enquanto gestor, não consegue dar conta devido às outras responsabilidades.

Até aí, tudo bem, isso é absolutamente normal, afinal, ninguém é obrigado a dar conta de tudo. 

No entanto, caso você não possua tempo suficiente – o que acontece na maioria dos casos – ou acha que não possui os conhecimentos necessários (vamos combinar que não são poucos?), investir em uma empresa especialista em marketing de conteúdo pode ser uma ideia fantástica para alavancar o nome da sua empresa no mercado.

O Meu Redator, por exemplo, cuida de todas as etapas da criação de conteúdo para você, desde o planejamento de pautas até o acompanhamento das publicações no seu site ou blog. 

Os nossos trabalhos são desenvolvidos por profissionais sérios, os quais têm as competências ideais de acordo com as suas funções (redatores, revisores de texto e revisores de SEO) e especialidades.

Além disso, ao produzir conteúdo conosco, você ainda tem outras vantagens. Veja só:

 

E aí, o que achou do conteúdo de hoje? Você já cometeu algum desses erros? Se sim, esperamos que agora você saiba como corrigi-los. 

Mesmo assim, não deixe de conferir nossos pacotes de criação de conteúdo. Em seguida, receba seu orçamento e prepare-se para conquistar resultados incríveis!

 

Escrito por:


Juliano Duarte

CTO – Meu Redator

 

 

Sair da versão mobile