Site icon Meu Redator

Marketing social: o que é e por que ele é importante?

O termo marketing vem do latim “mercare” e significa comercializar algo. Em outras palavras, é o ato de vender algum produto ou serviço conforme as necessidades de um público específico.

Mas e o marketing social, o que é?

Basicamente, podemos afirmar que ele é uma técnica que ajuda as empresas a se aproximarem de seus clientes, tornando-os ainda mais fãs do seu trabalho.

Assim, você já deve ter notado o quanto essa estratégia é eficiente, concorda? Pois bem, acompanhe o artigo e confira tudo sobre essa importante ferramenta do marketing para as empresas!

 

O que é marketing social?

O marketing social é uma estratégia de marketing que utiliza um conjunto de ações em prol de causas sociais. A empresa não faz essa ação em busca de vender um produto ou serviço, mas sim em promover a marca através de pensamentos e atitudes visando o bem da sociedade.

Em algumas organizações, geralmente as públicas, esse tipo de marketing funciona como um manual, pois elas têm essa função de garantir melhores condições de vida para a população e não necessariamente, gerar lucros.

Porém, a maioria das empresas que usam esse método, o utilizam voltado para as necessidades primordiais de qualquer pessoa, como a saúde, educação, transporte, preservação do ambiente etc.

De maneira geral, esse tipo de causa tem o apoio popular, principalmente da comunidade local, sempre buscando minimizar problemas de uma determinada localidade.

 

Como surgiu esse conceito?

O conceito do marketing social nasceu na década de 1970, quando Gerald Zaltman e Philip Kotler perceberam que, além de comercializar bens, o marketing também tem um objetivo de difundir comportamentos, atitudes e ideais de vida. 

Apesar disso, somente em 1971 foi que eles conceituaram essa descoberta como sendo o chamado marketing social.

 

Por que o marketing social é importante?

Quando uma empresa realiza o marketing social ela concede vantagens para as pessoas daquele local atendido na ação, seja no sentido regional ou nacional. Assim, essa forma diferente de fazer marketing traz resultados positivos para a própria instituição que idealiza a iniciativa.

Só para ter uma ideia, o marketing social é tão importante para as pessoas, que, segundo o estudo RSC da Cone Communications de 2017, 87% dos clientes dos EUA estavam dispostos a adquirir produtos de instituições empresariais que tivessem causas sociais equivalentes ao seu gosto particular.

Logo, isso só prova o quanto essas atitudes são relevantes para o sucesso de qualquer negócio, ressaltando os seus valores e reforçando a sua postura no mercado.

 

Exemplos de empresas que realizam o marketing social

Diversas empresas já vem conseguindo ótimos frutos por meio do marketing social. A seguir, confira alguns destes exemplos e se inspire no que de melhor eles têm a oferecer.

 

Criança Esperança – Rede Globo

O projeto de doações ao Nordeste iniciado pelo ator Renato Aragão acabou virando tempos depois em um dos maiores exemplos de marketing social do país. 

A Rede Globo se uniu à Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e juntas lançaram o Criança Esperança.

O projeto é hoje um dos maiores arrecadadores de recursos para crianças em situação vulnerável, já tendo passado de R$300 milhões em doações para mais de 5 mil instituições em todo o país.

Fora os resultados sociais, a rede de televisão aberta associou a sua marca a uma causa relevante, com metas objetivas que envolvem diretamente quem assiste.

 

Teleton – SBT

Com uma dinâmica parecida com o evento da Rede Globo, o Teleton é uma ação beneficente realizada anualmente pelo Sistema Brasileiro de Televisão – SBT. 

Transmitido por cerca de dois dias seguidos, a iniciativa objetiva conseguir fundos para suprir as necessidades das crianças atendidas pela à Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD).

Com diversas atrações musicais e a presença de importantes figuras do país, o Teleton tem uma marca afetiva entre os telespectadores do SBT, que vinculam o desejo de ajudar ao próximo aos ideais da empresa.

 

Papai Noel – Correios

A campanha Papai Noel dos Correios já é uma tradição no Brasil há mais de 20 anos. A iniciativa reúne esforços em prol das crianças em situação de vulnerabilidade social.

A ideia é simples, mas bem genial: os pequenos enviam cartas ao “papai noel” e pessoas escolhem essas cartas para presenteá-los no dia 25 de dezembro.

Além disso, o movimento é mais amplo, tanto que as diretorias dos Correios ajudam as crianças a escreverem as cartas, preenchendo com o endereço correto e sem falhas na entrega.

Dessa forma, a campanha não só incentiva o hábito da escrita, como também cumpre o dever social da instituição, preservando a cidadania e solidariedade.

 

Como montar uma campanha de marketing social?

Para montar uma campanha de marketing social é preciso mostrar que a sua marca realmente garante mudanças verdadeiras em alguma área social. Nesse sentido, para que a ação gere impacto nas pessoas, a sua empresa necessita investir, ainda que a finalidade central da ação não seja gerar receitas para o seu caixa.

Ademais, assim como qualquer outra tática de marketing, você deve entender primeiramente o seu público consumidor. Logo, é válido focar em:

Outro ponto primordial é que sua campanha deve estar alinhada aos valores da empresa de modo a gerar o interesse do público. Junto disso, tomando como base a causa selecionada, é importante decidir como o seu negócio vai trabalhar para divulgar e promover as mudanças propostas.

 

Conclusão

Como você pôde ver, o marketing social vai muito além de uma modinha ou algo sem relevância, que não é preciso tanta atenção.

Pelo contrário: quando a sua empresa desenvolve boas campanhas voltadas para o bem social, é natural que sua marca ganhe clientes fiéis, que por consequência gostarão da sua atitude perante a sociedade. 

Portanto, as instituições podem aproveitar as causas sociais para estreitar a relação com seus consumidores, dado que, além de promover a marca, ainda colaboram de fato para as mudanças da sociedade.

 

Escrito por:


Juliano Franco Duarte
CTO – Meu Redator

 

 

 

 

 

Sair da versão mobile