Quanto cobrar por um freela de conteúdo?
5 (100%) 3 votos
Começar em um novo modelo de carreira é cheio de desafios e muitas vezes nem sabemos direito como fazer isso. São novas rotinas, novas funções, e novas responsabilidades. Sendo freelancer fulltime ou apenas pegando uns freelas para tirar um dinheiro a mais, o certo é que no começo é difícil ter noção até das coisas mais básicas – e importantes – como quanto cobrar pelo seu trabalho. Pensando nisso, o blog do Meu Redator quer ajudar a solucionar essa dúvida com você.

QUANTO VALE A SUA HORA DE TRABALHO?

Uma das primeiras coisas a se ter em conta é o valor da sua hora de trabalho. Para isso, é preciso avaliar quanto você pretende ganhar por mês e qual o salário de profissionais da sua área no mercado tradicional. Se o salário é de R$ 2000 para 40h semanais, por exemplo, o valor da hora fica em aproximadamente R$ 12. Isso é uma boa base de partida, pois você pode contabilizar quantas horas vai dedicar para o serviço, mas é preciso levar muito mais em consideração, como o quanto você vai gastar para executar o projeto.

QUANTO VOCÊ VAI GASTAR PARA EXECUTAR O PROJETO?

Os materiais que você vai utilizar para desenvolver um trabalho precisam ser colocados na ponta do lápis. Internet, um software específico, locomoção, são gastos que variam de uma área de atuação para outra e de um projeto para outro também. É importante ter isso em conta antes de fechar o negócio por dois motivos: não cobrar gastos adicionais pode fazer você ficar no prejuízo; e ficar renegociando o preço a torto e a direito com o cliente pode deixar você com o filme queimado.

QUAL O PREÇO TABELADO PARA O SERVIÇO?

Outro fator importante a levar em consideração é o valor de mercado para o tipo de produto que você vai oferecer. Não tenha vergonha de conversar com amigos que fizeram freelas parecidos, com certeza eles já passaram por dúvidas semelhantes. Mais uma opção é ver as tabelas de preços dos principais sindicatos da sua profissão, sobretudo os da região em que você atua, caso o cliente seja local. Em alguns casos, fazer preço abaixo do mercado pode ser uma estratégia. Mas, não torne isso rotina, valorize o seu trabalho.

QUAL O SEU DOMÍNIO NO TEMA?

Quanto maior sua especialidade em determinada área, mais você poderá cobrar por seus serviços. É assim no mercado tradicional e no independente também. No começo, pode acontecer de ter que cobrar menos para se inserir melhor no mercado, cativar clientes e montar portfólio. Quanto maior sua cartela de clientes (ou o peso da marca que eles carregam), mais você poderá cobrar. Se você sente que ainda tem dificuldade em determinada especialidade, procure se capacitar antes de aceitar um freela nessa área. Usar o projeto do cliente como cobaia pode dar muito errado.

QUAL A FORMA DE PAGAMENTO MAIS ADEQUADA?

Por último, é preciso negociar muito bem como será a forma de pagamento adequada. Se o projeto é grande e demanda muitos dias de trabalho, ao invés de cobrar metade do valor antes e outra metade depois, opte por dividir a entrega das tarefas em etapas. Assim, o cliente pode sentir-se mais envolvido, acompanhando o andamento do projeto, e você tem maior garantia de receber em dia pelo serviço.

Tem mais alguma dúvida sobre quanto cobrar por um freela? Tem alguma dica para quem está começando? Compartilha com a gente nos comentários.