Como aplicar Growth Hacking ao marketing de conteúdo

Como aplicar Growth Hacking ao marketing de conteúdo
(Nota 5) 3 voto(s)

Growth hacking é uma expressão que significa “marketing orientado a experimentos”. Definido por Sean Ellis, que foi Head de marketing do software LogMeIn, profissional de marketing do DropBox e consultor de várias startups para ajudá-las no crescimento (já percebeu que ele é expert, né?), o termo remete a crescimento por meio de lacunas.

A prática já é usada em muitos meios da área de marketing e utiliza noções de marketing, engenharia, tecnologia da informação e psicologia do consumidor.

Sua aplicação também é possível no marketing de conteúdo. Ficou interessado? Então vamos acompanhar o artigo!

Growth hacking: não é uma metodologia

Uma metodologia prescreve caminhos a serem seguidos. A proposta do growth hacking é ser um guia na forma de pensar sobre um problema, assim as possibilidades a serem executadas são diversas, a depender da situação em que se esteja e onde se quer chegar.

O processo é tão significante que existem profissionais especialistas em orientar as empresas em passos que elas podem seguir para buscar o seu crescimento: são os growth hackers. Apesar disso, não é preciso ter essa função ou cargo para implementar o que esse tipo de pensamento sugere, pois a intenção dele é buscar a melhoria dos resultados por meio de experimentações e análises.

A prática do growth hacking

É usado um funil (parecido com o funil de vendas, lembra?) para auxiliar na visão e tomada de decisão a ser feita. Ele é composto por 5 estágios:

  • aquisição: aqui são abordadas as práticas de atração de visitantes;
  • ativação:  é quando o visitante já se torna um lead,  e tem seu interesse despertado;
  • retenção: nessa etapa, há visitas frequentes do usuário no seu site. A intenção é despertar o interesse de forma constante, para ele se tornar um cliente;
  • receita: momento em que há geração de faturamento e ganhos para a empresa;
  • indicação: a etapa em que clientes satisfeitos começam a indicar sua marca aos amigos dele.

Nesse funil, essas fases não ocorrerão necessariamente na ordem apresentada acima. Algumas podem ser puladas ou ocorrer simultaneamente.

Apresentado o funil, agora vamos às orientações dos melhores passos:

Identifique o problema

Para crescer, precisamos saber o que podemos melhorar para assim ter um foco, certo? Observando o funil de vendas e o funil do growth hacking, em que parte você acha que precisa melhorar? Precisa aumentar a atração para o seu blog? Ou melhorar a conversão de leads? Outra possível falha pode ser ainda quanto à permanência dos visitantes a ler um conteúdo.

Caso sejam observadas muitas lacunas, deve- se priorizar a mais urgente.

Pensar em possíveis melhorias

As ideias são pensadas de acordo com o problema a ser solucionado. Duas estratégias que podem ser usadas aqui são o benchmarking, no qual você analisa sites e conteúdos de concorrentes para verificar o que possuem de positivo e o que pode ser implementado para você, adaptando a sua marca. A outra é o brainstorming, que na tradução seria “uma chuva de ideias”. Elas são anotadas, primeiramente sem julgamento nenhum, e depois analisadas e escolhidas as preferíveis.

Modelar e aplicar

Tidas as ideias, chegou o momento de você construir um modelo de melhoria e colocá-lo em prática. Então você verificou que o tráfego de visitas no seu conteúdo está baixo, analisou diversas soluções e decidiu testar estratégias de compartilhamento do post? Agora podemos seguir para o próximo passo.

Analisar e comparar

Vamos então analisar a estratégia adotada. O interessante aqui é que você pode escolher mais de uma tática e depois averiguar e comparar seus resultados. As ferramentas de métricas serão úteis para você, como testes A/B ou Google Analytics.

Aprender

De que adianta fazer todo o processo se não tirarmos aprendizagem dele, não é? Assim, documente tudo: os fracassos e as vitórias. Com o que não deu certo, analise as razões e anote para se lembrar nas próximas investigações. Aprenda também com o sucesso. Tenha em mente o que dá certo para sua empresa e seus clientes. Saiba também que o que deu êxito para seu concorrente, não necessariamente dará para você, pois isso dependerá de muitas variáveis, como a persona, por exemplo.

Esses resultados ainda podem lhe dar insights para novas melhorias, visto que a intenção é a experimentação e melhoria constante. Não estagne só porque algo deu muito certo.

Exemplos de como aplicar o growth hacking no marketing de conteúdo

O marketing de conteúdo é uma excelente estratégia para ajudar sua marca a crescer e ser mais vista no mercado. Todavia, assim como toda tática, se ela não for bem executada, os resultados podem não ser tão bons assim. Nem sempre a falha está no conteúdo em si (ou seja, os artigos podem até ser bacanas), mas em outras variáveis que podem ser melhoradas. Por isso você precisa estar sempre analisando métricas e fazendo comparações dos experimentos. Então, vamos pensar um pouco?

Verifique gaps de conteúdo

Faça uma análise dos conteúdos que você já tem e tente identificar se há um buraco, algo que falta neles. Por exemplo, você tem um artigo falando o que é SEO e por que ele é importante. Mas viu que faltam outros detalhes, como colocar exemplos do que fazer na prática.

Você já tinha visto que queria aumentar o tráfego. Verificou que teve ótimas visualizações no primeiro artigo do SEO. Provavelmente fazer outro desse mesmo assunto, mas abordando outras especificações, será muito bom.

Multiplique conteúdos

Você pode verificar quais conteúdos deram mais certo e utilizar outros formatos para eles. Por exemplo, se tem um ótimo conteúdo escrito, pode tentar fazer vídeos ou podcasts. Ou ainda vários posts podem ser juntados e transformados em e-book. O e-book pode ser colocado em uma landing page.

Teste outros tipos de CTAs

Foi verificada uma falha no engajamento? As pessoas leem os conteúdos até o final, mas não se tornam leads? Talvez mudar o CTA pode incentivar outras ações, como o compartilhamento, ou entrar em contato. Inserir landing pages para baixar um material pode lhe dar dados para analisar melhor o perfil ou aumentar a lista do e-mail marketing.

Crie conteúdos que podem ser usados por outros criadores de conteúdo

Um redator web ou outro tipo de freelancer está sempre lendo artigos de vários sites e se atualizando. Com isso, você pode melhorar seu tráfego, aumentar sua posição nas buscas e ainda ser linkado em posts relevantes.

Criar infográficos também são boas estratégias para chamar a atenção.

Analise blogs do mesmo nicho seu

Da mesma forma que você analisou gaps em artigos seus, veja se os encontra nos blogs de mesmo nicho que você tem. A ideia é tentar fazer guest post com eles. Ofereça conteúdos que ainda não tenham e sugira escrever para eles. Só veja se também possuem personas parecidas e se o site não faz uso de práticas impróprias, como o Black Hat.

Invista em bons títulos

Utilizar técnicas de SEO e gatilhos mentais aqui é super válido. A concorrência muitas vezes é grande e é preciso um diferencial para se destacar. Então tenha em mente que quanto mais tentador o artigo parecer, mais pessoas clicarão para lê-lo. Faça análises, testes, comparações e verifique que tipos de títulos dão mais certo ao seu público.

Os exemplos podem muitos e é preciso um pouco de criatividade nessa hora. Só não esqueça: verificar pontos de melhoria, aplicar, experimentar, analisar, aprender e melhorar.

Então essas foram apenas algumas ideias de como você pode melhorar seus conteúdos, e, consequentemente, seus resultados aplicando o growth hacking, ok?

Se você gostou deste artigo, também irá se interessar por como superar o bloqueio criativo na produção de conteúdo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *